segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Michael Clayton


Ontem, noite de Oscars, olhei para a minha lista de filmes, e decidi ver um dos nomeados para melhor filme. Não acertei.
Escolhi talvez o derrotado de ontem. em 7 ganhou uma.

É um filme para se ver com bastante atenção aos pormenores.

You're a manic-depressive!
I am Shiva, the god of death.








[Juno, Atonement, No Country For Old Men, There Will be Blood e Michael Clayton - destes, os nomeados para melhor filme, ainda só vi Juno e Michael Clayton. Sendo os outros do mesmo nível, tenho grandes filmes para ver :)]

Michael Clayton / Oscars


Ontem, noite de Oscars, olhei para a minha lista de filmes, e decidi ver um dos nomeados para melhor filme. Não acertei.
Escolhi talvez o derrotado de ontem. em 7 ganhou uma.

É um filme para se ver com bastante atenção aos pormenores.

You're a manic-depressive!
I am Shiva, the god of death.








[Juno, Atonement, No Country For Old Men, There Will be Blood e Michael Clayton - destes, os nomeados para melhor filme, ainda só vi Juno e Michael Clayton. Sendo os outros do mesmo nível, tenho grandes filmes para ver :)]

Repetições

Regresso a Setúbal, autocarro do costume, a hora de sempre.

Pela segunda vez após um jogo do Benfica (dois jogos fantásticos... lol felizmente só vi um deles)

No banco ao lado vinha, tal como do outra vez, O adepto do benfica. ADEPTO com letra grande. Figura típica, daqueles que não perdem um jogo.
Fato de treino, sapatilhas, T-shirt, cachecol, saco, tudo SLB.

Tal como da outra vez, a mesma expressão na cara. Uma vitória, um empate, dois jogos fraquinhos fraquinhos... (jogar em casa é lixado, a pressão é muita. COITADINHOS).

Como da outra vez, tocou o telefone e a conversa foi a mesma. “Estou quase a chegar. Mais uns 10 min e estou ai”.

E 10 min depois, estava em Setúbal.

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Um valente (de dia)

Ouço qualquer coisa na sala ao lado "...doente para suturar..."
levanto a cabeça a pensar, este é para mim.
Nem foi preciso abrir a boca, o meu colega mais velho olhou para mim, percebeu e lá fomos nós roubar o doente.

Era um valentão

Ah doutor! anestesia!? não é preciso, faça logo isso... eu aguento. nunca tomei um medicamento. isso é veneno pró corpo...

Um bocadinho de insistência, "olhe que eu estou pouco habituado a fazer isto, é melhor levar anestesia", e o homem lá aceita. (esta parte deixou o homem com um grande sorriso nos lábios, não esteja nervoso doutor, espete à vontade)

À primeira espetadela do anestésico, até saltou... arrependi-me de ter insistido da anestesia...

Ponto para aqui, ponto para acolá, a coisa lá chegou a bom porto.

Então agora vamos-lhe passar um antibiótico para tomar, ok?
-eu não tomo. isso são só venenos
E se for uma injecção? fica já despachado.
-também não
Ok, então vemo-nos cá outra vez quando isso infeccionar... assim pratico mais um bocado
-ha... pode ser a injecção então...

E foi assim, com um valentão, o meio de um dia valente, em que também houve um primeiro ordenado, uma passagem do SLB aos oitavos da UEFA e,

amanha é Sexta!!

quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Os jogadores do SLB são óptimos!!

Eu já explico.

Camacho disse que não é fácil marcar dois golos ao Benfica.
E os jogadores ouviram, e com muita atenção.
Com tanta atenção, que ficaram a pensar no assunto, pensaram, pensaram e deu nisto:

coitadinhos dos Alemães, são tão simpáticos, e não nos vão conseguir marcar dois golos... isso não se faz. Vamos lá ajudá-los.

Dito e feito.

Portanto os jogadores do Benfica são óptimos. (sob o ponto de vista humano, claro).

No fim lá houve um (dois) salvador(es) da pátria que veio do banco. A sorte é que eu já não me chateio. se chateasse, já tinha morrido de enfarte...

segunda-feira, fevereiro 18, 2008

Água

Hoje descobri que vivo numa ilha.

De manhã cedo saio de casa, está a chover, apanho o autocarro, chego num instante ao centro de saúde, tudo OK.
Hora de almoço, continua a chover, estrada do centro toda alagada. Trânsito na cidade parado. Boas noticias, "se não puderes aparecer à tarde, tudo bem".
Almoço na rua, num café, com vista para a cheia, a ver se a água desce.
Quando a rua estava mais ou menos transitável, pés ao caminho. Ambulância a alta velocidade em sentido contrário. Resultado, um ligeiro banho em água castanha...

Coisas boas, descobri que a água não entra em minha casa, e tive uma tarde livre...

quarta-feira, fevereiro 13, 2008

ONCE

No meio da rua, onde ele estava a tocar guitarra:

glen_hansgard2"you fix vacuum cleaners?

i do.

i have a brocken vacuum cleaner!!!

can you fix it?"

no dia seguinte, ela aparece com o aspirador pela "trela", tipo cãozinho...

Não há dúvida de que é uma maneira original de se conhecerem...

 

já agora, a opinião do grande Markl (o culpado de eu ter visto o filme)

terça-feira, fevereiro 12, 2008

World Press Photo 2007

Chegou aquela altura do ano (e eu cheguei atrasado...) em que uma fota aparece em todos os notíciários da tv.

Foi anúnciado no dia 7 de Fevereiro o vencedor do World Press Photo 2007. Mais uma vez uma foto de guerra.

Tim Hetherington tirou a foto vencedora em Korengal do Afeganistão, mostra um soldado norte-americano completamente esgotado. O juri descreveu a foto como uma representação do "esgotamento de um homem e de uma nação", "a imagem de um homem no fim da linha". 1

Este ano, um "tuga" figura na lista, Miguel Barreira do jornal Record obteve o 3º lugar na categoria de "sports action", com uma foto em b&w de um bodyboarder nas águas da Nazaré.

224378

Fica aqui a lista completa das imagens vencedoras.

E já agora uma lista com os anteriores vencedores

segunda-feira, fevereiro 11, 2008

ressaca...













1 mês... :(((

Contabilidade

4 dias de CA, 200 doentes depois, resumem-se em:
  • muitos sindromes gripais
  • bastantes amigdalites/faringites
  • e de vez em quando algumas outras coisitas...
o melhor de tudo, é que no meio desta bicharada toda, eu ainda não estou doente :)

domingo, fevereiro 10, 2008

Eternal Sunshine of the Spotless Mind


O filme é de 2004, portanto vi-o com 3 anos de atraso. Pois é, às vezes faço coisas estúpidas... Descobri agora que é escrito pelo Kaufman. E tal como Being John Malkovich, Confessions of A Dangerous Mind, e Adaptation, é um filme fantástico.

Começa normalmente, depois há uma grande parte em que parece que não se percebo nada... para no fim tudo fazer sentido de novo.

sábado, fevereiro 09, 2008

CAN Ghana 2008

A última (e primeira) CAN que vi, foi a do Mali 2002, no meu primeiro ano em coimbra.

Agora no meu primeiro ano (e talvez único) em Setúbal, segui outra CAN. Gana 2008.

Bons jogos, golos (muitos e bons), futebol sem grandes mariquices.

É engraçado ver a mistura de super estrelas, tipo Drogba, Kalou, Etoo, Essien e mais uns tantos, com jogadores completamente desconhecidos, alguns até desempregados (depois há casos como o angolano Manucho, que foi contratado pelo Man United... sem ninguém reparar nele cá em Portugal).

Há quem refile por a CAN se realizar agora, com alguns clubes a serem privados dos seus jogadores. Para mim foi perfeito. Chegar a casa depois do trabalho, ligar a tv, joguinho a dar :).

E amanhã é a final. Egipto – Camarões. E tenho de ir trabalhar...

E hoje não tive a minha sobremesa...

Fragmentos

Um puto em bicos de pé, todo esticadinho, todo contente por conseguir chegar ao bebedouro, mete a mão na torneira, cara de felicidade, roda a torneira, abre a boca e... SPLASH, a água acerta-lhe em cheio no olho... Cara de afogado, como se tivesse ficado enrolado numa onda na praia.

A tarde começou com a Lei de Murphy a funcionar em pleno. A máquina fotográfica tem sempre pilhas, excepto quando preciso dela...

Tropecei num jardim. Não estava num jardim quando tropecei, tropecei no próprio jardim.

Vinha eu do parque do bonfim, quando olhei e vi uns arcos.

Boa esplanada, relva verde, muito espaço, lago no meio (este não tem peixes. Tem barcos), meninas a passear ao sol... Tudo o que é preciso. Só os putos é que podiam fazer um bocado menos de barulho.

Mais tarde vim a saber que os arcos são o que resta do antigo aqueduto de Setúbal. O jardim está onde antes era o estádio do Vitória, que se chamava oportunamente Estádio dos Arcos. E já agora, o jardim chama-se Jardim da Algodeia. Tal como o restaurante Retiro da Algodeia, onde se come um peixe grelhado fantástico :).


Tenho a sensação que não me vai custar muito passar várias tardes sem fazer nada, simplesmente a apanhar Sol, num parque, junto ao rio ou não, a ler, dormir, ouvir música, ver umas miúdas, comer um gelado, tirar umas fotos (quando a Lei de Murphy me permitir)... A vida é dura.

O cheiro suculento do molho da galinha subia-lhe pelas narinas

“O cheiro suculento do molho da galinha subia-lhe pelas narinas, a fragância das batatas assadas, do dourado puré de nabos e dos biscoitos quentes faziam-no desfalecer, assim como o cheiro doce do mel, dos pêssegos de conserva e o perfume embriagador das tortas quentes, de passas.”

“Há sempre um amanhã”, Pearl S. Buck


O meu jantar não vai ser exactamente assim, mas acho que oefeito sobre os meus sentidos vai ser parecido... :)

Para sobremesa encomendei uma derrota dos lagartos, estou com um pressentimento que vai estar esgotada. Tem tido muita saida. Mas ainda há muito tempo até ao fim do jantar. Talvez tenha sorte.

sexta-feira, fevereiro 08, 2008

Pi

Finalmente vi o "Pi"!!
Com um atraso de uns dois anos, desde que tenho o filme, mas estamos em Portugal... e pelo menos não ultrapassei o orçamento.

De qualquer maneira, eu sou uma vítima neste assunto. Por mais de uma vez estive para ver o filme mas, na hora H, alguém dizia: "um filme a preto e branco?? sobre o pi?? tás doido??" E pronto, lá se via outro filme.
Finalmente desisti, e vi o filme sozinho.

uau! Eu sei de alguém que quando vir o filme, se vai arrepender muito de não o ter visto há mais tempo... :)

Foi o segundo filme do Daniel Aronofsky que vi, o outro foi o "Requiem for a Dream", e o segundo que adorei.

Um parque, uma estação de metro, a sua casa, a casa do seu professor. Sem efeitos especiais, a preto e branco com uma imagem medíocre. Grando ritmo da história, perfeitamente ligada com a banda sonora. É tudo o que é preciso para fazer um óptimo filme.

Pi

Finalmente vi o "Pi"!!
Com um atraso de uns dois anos, desde que tenho o filme, mas estamos em Portugal... e pelo menos não ultrapassei o orçamento.

De qualquer maneira, eu sou uma vítima neste assunto. Por mais de uma vez estive para ver o filme mas, na hora H, alguém dizia: "um filme a preto e branco?? sobre o pi?? tás doido??" E pronto, lá se via outro filme.
Finalmente desisti, e vi o filme sozinho.

uau! Eu sei de alguém que quando vir o filme, se vai arrepender muito de não o ter visto há mais tempo... :)

Foi o segundo filme do Daniel Aronofsky que vi, o outro foi o "Requiem for a Dream", e o segundo que adorei.

Um parque, uma estação de metro, a sua casa, a casa do seu professor. Sem efeitos especiais, a preto e branco com uma imagem medíocre. Grando ritmo da história, perfeitamente ligada com a banda sonora. É tudo o que é preciso para fazer um óptimo filme.

Master and Commander: The Far Side of The World



Gostei muito mais dos livros. O filme, como não podia deixar de ser, é muito mais superficial.
Mas esquecendo os livros, não é um mau filme.

quinta-feira, fevereiro 07, 2008

Ó Maria!!

“A seguir ao almoço, ao chegar aqui, o telefone tocava: uma voz feminina à procura do meu primo.
Disse-lhe que não o tinha visto.
Perguntou-me como podia encontrá-lo.
Respondi que não sabia e sugeri-lhe que abrisse a janela e gritasse o nome dele. Lisboa não é assim tão grande.
Ficou a duvidar de mim, chegou ao ponto de insinuar que eu não falava a sério. Depois reflectiu melhor e concordou em experimentar.
Se experimentou, pela minha parte não ouvi nada. Pode dar-se o caso de morar longe e assim sendo é provável que em Sintra ou na Amadora a hajam escutado. Isto se não a levaram para o hospital psiquiátrico ao segundo berro.
Quando eu era pequeno, em Benfica, havia mães que chamavam os filhos dessa forma, ao fim da tarde.”
Crónica de António Lobo Antunes na Visão

Bem, isto lembrou-me a terra dos meus avós, que é a minha, mas assim parece que soa melhor... Não que eu ouvisse as mães a chamar à janela pelos filhos, mas as conversas à janela eram (são) comuns. Quer entre pessoa na rua e outra na janela, quer entre cada uma na sua janela...
Em Coimbra, olhando do alto da minha janela :), continuei a assistir a estas conversas, e agora, em Setúbal, encontro-me precisamente no meio delas.

Não é raro ouvir qualquer coisa do género: “Ó Maria!! O comer já está pronto?
Está quase Manel...”
Ou então, a caminho de casa, uma vizinha à janela e, “Como vai o menino? Está bom? Já acabou o trabalho por hoje?”

A minhas vizinhas não são exactamente como a menina da foto... mas é agradável encontrar alguém à janela no meu caminho de casa. (ficava bem dizer, no meu caminho de casa após um cansativo dia de trabalho, mas eu não gosto de mentir...)

Almoço


3 horas de almoço, 1 robalinho grelhado,
1 café numa esplanada, maresia na cara,
barcos a passar no rio...

a vida é dura.

terça-feira, fevereiro 05, 2008